“Direita vs Esquerda” Isso funciona aqui no interior?

“Seu esquerdista caviar” (…) “Seu pobre de direita” (…) Dois dos termos pejorativos mais usados nesse embate ideológico que ao invés de dar profundidade ao assunto, vem nutrindo conflitos desacerbados onde poucos param para pensar se isso faz realmente sentido no nosso modus operandi aqui pras tantas do interior(?) estado-minimo-maximo

Como polemica pouca é bobagem, vou começar chamando de direitista todos que levam suas vidas baseadas em fundamentos religiosos.
Agora vou me safar lembrando que aqui em Novo Horizonte, todas as religiões estão  associadas a grupos de caridade que fazem justiça social promovendo igualdade para quem não as tem.

Na minha fracassada tentativa de polemica acima, tentei conflitar comportamentos básicos de esquerda e direita coexistentes na religião. A história nos lembra que na grande maioria dos embates ideológicos, lideres religiosos ficaram contra o proletariado. Hoje, esses lideres se sustentam com discursos socialmente inclusivos e adaptados dos antigos mandamentos que conflitam o tradicional moralismo bíblico.

Forçando um pouco a barra, podemos dizer que nas igrejas modernas a pregação é “de esquerda”. Já na politica, onde esses mesmos lideres religiosos encontraram um brecha no apoio de fiéis eleitores, ao invés de serem inclusivos, flertam com o conservadorismo, ou seja, “direita”.

Democraticamente, esquerda e direita define a concorrência legal e ordenada de duas ideologias que pretendem representar os interesses da população: a “esquerda”, favorece o controle estatal da economia, colocando o ideal igualitário acima de outras considerações de ordem moral, cultural, patriótica ou religiosa. Enquanto a “direita”, favorece a liberdade de mercado, defende os direitos individuais e coloca o patriotismo e valores religiosos acima de quaisquer projetos de reforma da sociedade.

Na França, onde esses termos surgiram, a esquerda tem sido chamada de “o partido do movimento” e a direita de “o partido da ordem”. Nos EUA eles se dividiram entre Democratas e Republicanos. Já aqui no Brasil, os partidos abandonaram os extremos e hoje se dizem “centro” esquerda e “centro” direita.

No auge da minha embriaguez, refleti que, dinheiro, cultura e religião, formam a base dessa discussão. É meio óbvio que a maioria dos ricos e poderosos sejam de direita. Afinal, é o lado que prioriza os direitos individuais. Com “fácil” acesso à cultura, ricos e poderosos acabam sustentando artistas que por sua vez, passam a destinar suas obras para gostos elitista, “mais refinados”. Além, claro, de comprar facilmente a palavra dos lideres religiosos que cá entre nós, sempre foram suscetíveis a uma generosa doação.

Pra piorar, tem ainda essa lambança de centro (esquerda/direita) dando brechas para que políticos maliciosos flertem com ambos os lados aumentando assim seu eleitorado sem a necessidade de declarar posição política ou preferencias ideológicas.

Nosso prefeito por exemplo, é do partido PPS, ex PCB (Partido Comunista Brasileiro). Se no Brasil os políticos jogassem limpo, poderíamos dizer que vivemos numa cidade conservadora governada por um prefeito comunista. Porém, no espectro atual, o PPS é centro esquerda, ou seja, “me engana que eu gosto”. Se pensarmos numa disputa ideológica entre dois lados aqui em Novo Horizonte, teríamos de um lado a atual administração que está no governo a mais de 16 anos e do outro lado a meia duzia de 6 que questiona as atitudes da administração. Ou seja, faz sentido, mas não faz muita diferença.

Na minha humilde opinião, deveríamos coexistir mantendo nossas opiniões declaradas. Nos EUA, um país que leva a sério o lema da liberdade individual; é comum que na imprensa, declararem suas posições politicas e defendam seus candidatos. Já por aqui, ainda temos que engolir essa falacia de imparcialidade, principalmente da imprensa que claramente tem lado, mas não o declara, ofendendo a inteligencia de quem está atento aos detalhes.

Esquerda ou direita? Bolacha ou biscoito? Bolsonaro ou Lula? Amizade ou Esperança? Muito dos dois lados se mostram injustos quando são propositalmente distorcidos. Mas a história nos lembra que as ocorrências são cíclicas, e para o proletariado, esse é um jogo onde raramente se deram bem.

Se você quiser encarar os termos como se fossem uma partida de futebol, saiba que a direita, hoje, seria o Corinthians – Sempre favorito, maior torcida do Brasil, chega em todas as finais e leva a maioria dos canecos que disputa. A esquerda estaria mais pra um Santos da vida – Tem um bonito legado, já venceu partidas épicas, revelou o melhor boleiro de todos os tempos “Karl Marx”, mas seus principais talentos são facilmente comprados com migalhas pela direita. Corinthianos de esquerda e Santistas de direita, não fiquem bravos. Foi só mais uma fracassada tentativa de polemizar o assunto.

Ainda baseado no audacioso futebol do Santos, santista que sou, fraquejei um pouco pro lado esquerdo, mas ainda assim fiquei em duvida. Afinal, direita pode ser legal, está ligada à religião “só Deus salva”, Miami Beach, Nando Moura, vida eterna (…) Esquerda também é bacana: humanismo, dividir o pão, Havana, Tico Santa Cruz, autos papos filosóficos (…)

Na duvida, ainda bem que podemos nos auto definir “de centro” e como isentões, sair pela tangente disfarçando uma possível estupidez.

 

 

Anúncios

2 comentários em ““Direita vs Esquerda” Isso funciona aqui no interior?

  1. Suas palavras finais: “Na duvida, ainda bem que podemos nos auto definir “de centro” e sair pela tangente disfarçando uma possível estupidez”. Então, você saiu dessa pela tangente do lado esquerda ou direito?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s